A atual gestão da IMBEL, por meio de comunicados periódicos e completos difundidos nos seus canais de comunicação, tem manifestado a sua preocupação com as chamadas “fake news”, que além de manipular informações visando confundir o público-alvo ao qual se destinam, demonstram a má-fé e oportunismo de seus autores. 

A Empresa teve acesso ao informativo do Sindicato dos Metalúrgicos de Itajubá, Paraisópolis e Região o qual, na matéria intitulada - “CUSTO DE VIDA ALTO! QUEREMOS AUMENTO SALARIAL!” – omite fatos que já foram amplamente discutidos e divulgados junto à força de trabalho da Empresa e se vale de inverdades para tentar melhorar sua desgastada imagem perante os empregados da Fábrica de Itajubá (FI).

Mais uma vez, a IMBEL manifesta seu repúdio a práticas dessa natureza que bem demonstram a ineficiência e pouca credibilidade da entidade sindical junto aos empregados da FI. Por meio desta Nota de Esclarecimento, a Empresa informa que:

1º - ainda durante as negociações do ACT 2017/2018, foi o Sindicato que representa os Empregados da FI que se recusou a aceitar o reajuste de 2,9% proposto à época pela Empresa, retroativo a 1º de abril de 2017. O fato é que em decorrência dessa intransigência, até hoje, os empregados da FI não contam com um reajuste salarial desfrutado pelos demais empregados da Empresa desde dezembro de 2017, contando com a retroatividade já mencionada;

2º - os investimentos realizados nas fábricas resultam de destinações orçamentárias específicas, visando aumentar a produtividade das fábricas, diminuir o déficit da Empresa e atingir patamares de eficiência e rentabilidade que permitam a concessão de reajustes salariais e benefícios sociais significativos. Relacionar investimentos de produção nas fábricas com privilégios dos gestores demonstra má-fé e total desconhecimento sobre a realidade da Empresa. Lembramos que os salários dos diretores estão congelados desde 2015 e os índices de reajustes salariais definidos em ACT ou impostos pelo TST valem para todos os empregados, aí incluídos os demais gestores;

3º - como já mencionado no item 1., os Empregados da FI estão há 02 (dois) anos sem aumento por conta da intransigência e dificuldade de entendimento de representantes do Sindicato que colocam suas ideias distorcidas e belicosas a frente dos reais interesses dos trabalhadores que deveriam representar. Os diversos Comunicados da Empresa informando sobre a recusa daquela entidade sindical em aceitar o índice proposto durante as negociações do ACT 2017/2018 comprovam sobejamente a falta de alinhamento dos dirigentes daquele Sindicato com as expectativas e esperanças do grupo de trabalhadores que deveria representar.

Finalizando, é de fundamental importância afirmar que as propostas apresentadas na Reunião de Negociação realizada em Brasília-DF, no dia 15 de agosto (reajuste de 1,56% referente ao ACT 2018/2019 para todos os Empregados da IMBEL a partir de setembro e de 2,9%, somente para os Empregados da FI, referente ao ACT 2017/2018 e retroativo a 1º de abril de 2017) resultaram do empenho da diretoria junto aos órgãos governamentais para obtenção de acréscimo no orçamento destinado ao pagamento de pessoal. Comentários sobre supostas pressões dos sindicatos para obtenção desse resultado não passam de tentativas baratas empregadas por pessoas despreparadas para capitalizar resultados positivos obtidos nas negociações em decorrência, exclusivamente, do esforço e sensibilidade da gestão Empresa.

Assessoria de Comunicação Institucional

NOTÍCIAS ANTERIORES