ptenes

O site de notícias UOL publicou na sua edição de 04/02/2018 matéria intitulada - “Estatais que mais dão prejuízo dobram quadro de funcionários em 12 anos”, https://goo.gl/DSua3E abordando o aumento do quadro de funcionários ocorrido no período e os prejuízos causados aos cofres públicos pelas empresas estatais dependentes.

Por meio da presente Nota, a IMBEL busca esclarecer aspectos tratados na citada reportagem, cujas generalizações podem confundir o leitor sobre a real situação desta Empresa Estratégica de Defesa:

- óbices como a falta de regularidade nas encomendas militares resultantes das restrições orçamentárias e nas encomendas civis em decorrência da conjuntura econômica adversa e da forte concorrência, fazem com que a atuação da IMBEL se dê num cenário adverso e restritivo, implicando resultados negativos históricos. Entretanto, com a implementação de rigorosas medidas de gestão previstas no Planejamento Estratégico NOVA IMBEL, que objetiva eliminar a dependência orçamentária da União no horizonte de 2026, a Empresa vem gradativamente reduzindo o seu custo para o estado brasileiro, como se comprova nessa evolução: 2015 (-) 119 milhões; 2016 (-) 105 milhões e 2017 (-) 88 milhões;

- a força de trabalho da IMBEL em 2006 totalizava 1.972 empregados e atualmente, esse quantitativo é de 2014 empregados, o que representa um acréscimo insignificante de, aproximadamente, 2 % nesse indicador. Parte da mão de obra está lotada na Sede da Empresa e o grosso distribuído por 05 plantas fabris articuladas em 03 unidades da federação. Vale ressaltar que o teto máximo permitido de empregados nas empresas estatais dependentes é regulado pelo governo federal e está definido na Portaria nº 29 da SEST, de 06/12/2017, estando o efetivo de empregados da IMBEL abaixo do permitido;

- como previsto no seu Estatuto Social, a designação dos dirigentes da Empresa é feita pelo Comandante do Exército, cujos critérios de escolha estão assentados na meritocracia. Não existe qualquer participação externa no processo, particularmente as de caráter político; e

- a IMBEL é uma das 02 empresas estatais dependentes que não possuem registros de envolvimento em suspeitas de corrupção ou mau uso do dinheiro público. Isso se deve ao fato de seguir rigoroso processo seletivo dos quadros e estar imune a influências corporativistas de naturezas diversas. Ademais, conta com eficazes mecanismos de controle capazes de detectar eventuais desvios na gestão e governança da Empresa.

Finalizando, na condição de Empresa Pública dependente, a IMBEL entende perfeitamente que o contribuinte é o seu controlador de direito e, nunca perdendo de vista essa realidade, não se afasta sob nenhuma circunstância dos princípios da moralidade e economicidade que devem nortear a administração pública.